® 2021 Rede Moinho 24 • Notícias de Pouso Alegre e região •

Cotidiano

Ex-padre teria violentado e assediado ao menos 8 monges no Sul de Minas, diz site

Publicado

no dia

Reportagem publicada nesta quinta-feira, 30, pelo portal Uol, afirma que o ex-padre Ernani Maia dos Reis teria violentado e assediado sexualmente de, ao menos, 8 monges.

Os crimes teriam ocorrido, ainda segundo a reportagem, entre os anos de 2011 e 2018, quando o então padre se afastou do mosteiro Santíssima Trindade, de Monte Sião, que integra a Arquidiocese de Pouso Alegre.

A reportagem cita ainda que o padre teria constrangido e agredido verbalmente outras 11 pessoas, em sua maioria mulheres. Os monges que teriam sofrido os abusos tinham entre 20 e 43 anos quando teve início o assédio.

“Em uma dinâmica de abuso de poder, o padre Ernani usava seu lugar de líder espiritual para conquistar a confiança dos integrantes do mosteiro, se colocava como “um pai” com a intenção de envolvê-los pelo lado afetivo e oferecia “sessões de psicanálise” em que as próprias vítimas eram os pacientes”, afirma a reportagem assinada por Maria Carolina Trevisan e José Dacau.

A Igreja Católica tomou conhecimento do caso e instaurou apurações internas, mas não fica claro em que momento essas atitudes foram tomadas. O fato é que em 2018 o padre pediu seu desligamento em agosto de 2018.

De acordo com a arquidiocese de Pouso Alegre, Ernani “requereu de modo expresso, a sua renúncia ao estado clerical, isto é, não atua mais a título de “padre”. Ele não é mais sacerdote da Arquidiocese de Pouso Alegre e, ao que nos consta, nem de outra qualquer, ou seja, não exerce atividades de clérigo”, informa a instância religiosa em nota enviada ao Uol.

A reportagem do portal afirma que, desde novembro de 2020, entrevistou 40 pessoas. Os relatos são exibidos em um documentário intitulado ‘Nosso Pai’, lançado hoje pelo site.

De acordo com as vítimas ouvidas pela reportagem, o então padre se utilizava da confiança estabelecida com os monges para se aproximar e cometer os abusos.

Padre nega acusações

Ao Uol, Ernani negou as acusações, mas, de acordo com o portal, não quis responder aos questionamentos feitos pela reportagem. Com 53 anos, ele vive hoje na cidade de Franca (SP), onde mantém um escritório de psicanálise.

 


Não perca nada. Siga o R24 nas redes sociais:
Facebook | Youtube | Instagram | Grupo de WhatsApp | Telegram

Cotidiano

Curadora é presa por maus-tratos a mulher de 58 anos com problemas mentais

Publicado

no dia

Imagem: ilustrativa

Vítima foi encontrada caída em sua residência, sem cuidados mínimos de higiene, acompanhada de uma criança. A curadora não tem parentesco com a vítima, mas exerce o papel de sua responsável legal

Uma mulher de 36 anos foi presa na tarde desta quinta-feira, 12, no bairro Jardim Redentor, em Pouso Alegre, por maus-tratos a uma mulher de 58 anos com problemas mentais e debilidade física, de quem é responsável legal.

O caso precisou da intervenção da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. A força policial foi acionada por funcionários da Secretaria de Saúde de Pouso Alegre, que fazem o acompanhamento médico e social da mulher. O acionamento foi feito depois que a equipe não conseguiu acesso à casa da vítima.

“Foi narrado pelos funcionários da prefeitura às guarnições policiais que nesta ocasião, ao tentarem acessar a casa, não se fazia presente nenhum responsável legal pela mulher curatelada, estando no local apenas uma menor impúbere [criança]. Em razão disso, foi acionado o serviço policial para garantia do trabalho de saúde dos funcionários da prefeitura à mulher”, registra o informe policial.

Ainda de acordo com o informe, a equipe de saúde que tentava acesso à residência, ainda do lado de fora, conseguiu visualizar a vítima, que além de problemas mentais tem debilidade nos membros superiores. Ela estava caída ao solo “logo na entrada de um pequeno recinto, estando suja e sem os cuidados higiênicos básicos e os relacionados a saúde”.

O Corpo de Bombeiros também foi acionado para prestar os primeiros atendimentos à vítima. Após ser localizada, sua curadora garantiu que o ocorrido se trataria de um episódio isolado, mas não adiantou, ela foi detida e conduzida até à delegacia em flagrante por maus-tratos.

Por se tratar de maus-tratos, com pena máxima inferior a dois anos, a curadora assinou um Termo Circunstanciado e se comprometeu a comparecer em juízo, sendo liberada em seguida.

Continuar lendo

Cotidiano

Dupla arromba caminhão e furta 200 quilos de carne em Pouso Alegre

Publicado

no dia

Dois homens, de 27 e 46 anos, foram presos em Pouso Alegre (MG) nesta quinta-feira, 12, depois de furtarem uma carga de 200 quilios de carne e outras mercadorias.

A polícia chegou até a dupla por meio de uma denúncia anônima, dando conta que eles estavam fazendo o transbordo da carga de um caminhão para um automóvel na região central da cidade.

Viaturas policiais se deslocaram para o local da denúncia, dando o flagrante na dupla, que fugiu do local, dando início a uma perseguição.

“O veículo seguiu pela avenida Antônio Mariosa, sentido à avenida Vereador Antônio da Costa Rios, adentrando no bairro São Geraldo”, registra o informe da PM.

Já no interior do bairro São Geraldo, os dois homens abandonaram o veículo e tentaram se esconder em um córrego, mas acabaram presos pelos policiais.

“Ao ser verificado o automóvel abandonado pelos autores, constatou-se que no seu interior havia oito caixas de carnes, uma caixa contendo vários brinquedos, uma caixa contendo achocolatados e outra caixa contendo compensados de madeira”, segue o informe da PM.

No carro em que a dupla estava, além das oito caixas, com 200 quilos de carne, a polícia localizou caixas com brinquedos e achocolatados.

Embora confirmassem o furto da carne, os dois homens não souberam apontar a origem das demais mercadorias. O motorista do caminhão arrombado pela dupla confirmou a origem das caixas de carne, atestando que toda a carga fora recuperada.

A dupla foi presa em flagrante e encaminhada para a delegacia de Pouso Alegre.

Continuar lendo

Cotidiano

Mary Hellen é condenada a 9 anos e 6 meses na Tailândia por tráfico de drogas

Publicado

no dia

A pouso-alegrense Mary Hellen Coelho, presa na Tailândia por tráfico internacional de drogas, foi condenada a 9 anos e seis meses de prisão. A informação foi repassada à imprensa por uma de suas advogadas, Kaelly Cavoli Moreira.

Mary Hellen teria recebido a sentença ontem (quarta-feira,11), mas seus advogados só tomaram conhecimento da condenação na madrugada de hoje, após receberem um e-mail do consulado brasileiro.

Embora não tenham tido acesso à íntegra da sentença, os advogados avaliam a pena com bons olhos.

“A gente teve uma pena muito positiva, melhor do que a gente esperava. Nós estávamos contando com 50 anos de prisão, mas já tínhamos descartado a pena de morte e a prisão perpétua. Estamos caminhando para uma pena humana, o mundo precisa ir na contramão de penas desumanas”, declarou a advogada ao G1.

Extradição

Após terem acesso ao teor completo da sentença, os advogados de Mary Hellen devem dar entrada no processo para tentar extraditar a jovem.

Segundo a advogada, do total da pena aplicada a Mary Hellen, 2 anos são por crime civil, e 7 anos e 6 meses são por crime penal.

Continuar lendo

Mais lidas