® 2021 Rede Moinho 24 • Notícias de Pouso Alegre e região •

Política

Concessão da MG-290, BR-459 e outras rodovias do Sul de Minas ocorre em 8 agosto

Publicado

no dia

O secretário de Estado de Infraestrutura e Mobilidade de Minas Gerais, Fernando Marcato, confirmou nesta terça-feira, 26, que o leilão para concessão do lote de rodovias do Sul de Minas, que inclui a MG-290 e a BR-459, ocorrerá no dia 8 de agosto, na sede da Bolsa de Valores de São Paulo.

A movimentação do governo estadual para concessão das rodovias ocorre desde o ano passado. O lote do Sul de Minas é o número 2 de sete lotes preparados em diversas regiões do estado.

O edital para concessão do trecho foi publicado em dezembro de 2021 e o leilão estava previsto para março deste ano, mas a oferta acabou adiada por conta de questionamentos jurídicos e necessidade de ‘ajustes de preços’ após a inflação global provocada pelo pós-pandemia e acentuada pela guerra na Ucrânia.

“O que a gente precisou fazer foi postergar um pouquinho para poder fazer o ajuste nos valores em função dessa escalada de preços”, explicou Marcato durante conversa com veículos da região.

Segundo o secretário, o governo está confiante com o sucesso do leilão previsto para agosto. “O mercado já mostrou interesse e agora já estamos na reta final. As empresas estão na fase de preparação de propostas e a gente espera no dia 8 de agosto, agora, … vamos estar na Bolsa de Valores de São Paulo, se Deus quiser, batendo o martelo dessa concessão”, projetou.

A concessão

Oito rodovias do Sul de Minas serão ofertadas em leilão para administração da iniciativa privada por um período de 30 anos. São elas: MG-290, BR-459, MG-173, MG-295, MG-459, MG-455, CMG-146 e LMG-877. Ao todo, o trecho soma 454 quilômetros de extensão. Como contrapartida inicial, a empresa vencedora terá que investir R$ 1,8 bilhão em infraestrutura.

Melhorias

Para o secretário, a concessão é a forma mais viável de manter as rodovias em bom estado de conservação, já que nesse modelo a concessionária é obrigada a manter um padrão de qualidade e os investimentos independem do caixa governamental que, muitas vezes, pode estar no vermelho.

Ainda segunda Marcato, além de um pavimento melhor, a partir dos investimentos viabilizados pela concessão, os usuários vão contar com itens de segurança banais como melhor sinalização viária, manutenção das margens das pistas, até ações estruturantes que vão remodelar a mobilidade dessas rodovias, como correções de curva, novos acostamentos e ampliação de faixas.

Também há previsão de guincho 24 horas e atendimento médico bancado pela concessionária ao longo de todo o trecho.

Pedágio

Ao todo, as rodovias concedidas deverão ter nove praças de pedágio. A previsão é que elas comecem a funcionar um anos após a assinatura do contrato. A cobrança preocupa moradores que trafegam diariamente pela rodovias para trabalhar, por exemplo.

Marcato, porém, explica que será criado um mecanismo de decréscimo da tarifa conforme a quantidade de vezes que um mesmo veículo passar pelos pedágios. Ou seja, quanto mais uma pessoa passar por um determinado trecho, menos ela irá pagar.

Agora vai

A concessão das rodovias da região é um projeto tentado desde o governo Aécio Neves (PSDB), passando, inclusive, pelo governo de Fernando Pimentel (PT), sem sucesso. O que garante que dessa vez a concessão sairá do papel?

Marcato cita concessões já feitas pelo atual governo e o destravamento da concessão da MG-424, iniciada pelo governo Pimentel, como indicativos de que atual administração é capaz de fazer o que as outras não conseguiram. “A garantia que eu posso dar é que hoje o edital já foi lançado, as empresas, pelo que nos deram de retorno, estão interessadas”, conclui o secretário.

Paliativos

Enquanto a concessão de rodovias não sai do papel, o governo de Minas tem feito algumas obras paliativas em trechos mais críticos das rodovias. Além de lançar seu programa próprio de recuperação viária, o Provias, que pretende recuperar 2,5 mil quilômetros de pavimento, o governo lançou, há cerca de dois anos, o programa ‘Abrace uma rodovia’, permitindo que parlamentares pudessem direcionar verbas de emendas para rodovias.

“E aqui eu tenho que fazer um reconhecimento de público ao deputado Dalmo Ribeiro, que destinou boa parte de suas emendas para nos ajudar na 290. Tivemos problemas com material betuminoso, problema de chuva, mas a gente conseguiu, graças a Deus fazer esse investimento, essa melhoria [trechos de Inconfidentes a Jacutinga]”, discorre o secretário antes de reforçar que a solução definitiva para a MG-290 virá com a concessão de 8 de agosto.


Não perca nada. Siga o R24 nas redes sociais:
Facebook | Youtube | Instagram | Grupo de WhatsApp | Telegram | Twitter

Política

Orçamento público de Pouso Alegre é estimado em mais de R$ 1 bilhão para 2023

Publicado

no dia

Desse montante, 977,8 milhões ficam com a Prefeitura para as despesas com serviços públicos e investimentos, outros R$ 26,4 milhões seguirão para a Câmara de Vereadores

A Prefeitura de Pouso Alegre enviou para a Câmara de Vereadores, no final da última semana, o projeto de lei que fixa as despesas e estima o orçamento público municipal para o ano de 2023. O valor estimado é de pouco mais de R$ 1,083 bilhão (R$ 1.083.420.880,00 – um bilhão, oitenta e três milhões, quatrocentos e vinte mil, oitocentos e oitenta reais). O valor estimado é 21,9% maior que o projetado para 2022, que foi de pouco mais de R$ 888,5 milhões.

Do montante projetado para 2023, 977,8 milhões ficam com a Prefeitura para as despesas com serviços públicos, como saúde e educação, e investimentos. Outros R$ 26,4 milhões seguirão para a Câmara de Vereadores e R$ 77 milhões são referentes às receitas destinadas ao Instituto de Previdência dos servidores municipais, o Iprem.

> Confira a íntegra da Lei Orçamentária de Pouso Alegre para 2023


Não perca nada. Siga o R24 nas redes sociais:
Facebook | Youtube | Instagram | Grupo de WhatsApp | Telegram | Twitter

Continuar lendo

Política

Rafael Simões, ex-prefeito de Pouso Alegre, é eleito deputado federal

Publicado

no dia

O ex-prefeito de Pouso Alegre, Rafael Simões (UB), foi eleito deputado federal nas eleições gerais deste domingo, 2.

Com 98,2% das urnas apuradas, o político soma 144,2 mil votos em todo o estado. Desse montante, 46,3 mil votos foram obtidos em Pouso Alegre, cidade que governava desde 2017. No início deste ano, ele renunciou ao seu segundo mandato para disputar a vaga na Câmara Federal.

Simões se elegeu tendo como mote principal sua gestão à frente de Pouso Alegre, que vive um excelente momento econômico e recebeu diversas obras de infraestrutura ao longo da gestão do ex-prefeito.

O político se apoiou também no hospital oncológico que está em contrução, anexo ao Hospital das Clínicas Samuel Libânio (HCSL), ação que contou com verbas da prefeirura em um dos últimos atos de seu mandato antes da renúncia para a disputa das eleições.

Saida de Bilac Pinto

Simões acabou beneficiado também pela desistência do deputado federal Bilac Pinto, seu padrinho político. Bilac chegou a ser cogitado como vice na chapa à reeleição do governador Romeu Zema (Novo), mas acabou não concorrendo a nenhum cargo eletivo.

Nas regiões do Sul de Minas em que Bilac era majoritário, essa parcela do eleitorado migrou para Simões.

Continuar lendo

Minas

Romeu Zema é reeleito para o governo de Minas em primeiro turno

Publicado

no dia

Como apontavam as pesquisas eleitorais, o governador Romeu Zema (Novo) foi reeleito para mais quatro anos à frente do governo do estado.

Com 93,96% das urnas apuradas no estado, Zema somava 56,65% dos votos válidos dados pelos mineiros. Ao todo, o candidato do Novo já obteve mais de 5,7 milhões de voto.

O ex-prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, está com 34,6% dos votos, equivalente a pouco mais de 3,5 milhões de votos.

Continuar lendo

Mais lidas