Confirmada presença de novas variantes do coronavírus no Sul de Minas

Previous
Next
Previous
Next

Saúde

Confirmada presença de novas variantes do coronavírus no Sul de Minas

Publicado

no dia

Tidas como mais infecciosas, novas cepas são consideradas um dos fatores que levaram à segunda onda da pandemia no país | Imagem: Agência Brasil

Cepas das novas variantes do coronavírus, consideradas mais infecciosas, foram encontradas em pacientes de pelo menos cinco cidades do Sul de Minas: Varginha, Cruzília, São Lourenço, Ibitiúra de Minas e Itajubá.

A informação foi confirmada hoje pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). A identificação das variantes foi feita pelos laboratórios da Fiocruz e Funed.

A variante P.2 foi encontrada em na amostra de um paciente infectado de Cruzília e outros três de Varginha, em investigação da Fiocruz. Já a Funed encontrou a variante P2 em um paciente de Ibitiúra de Minas.

Amostra de Varginha continha variante de Manaus

A Fiocruz também detectou em uma amostra de Varginha material genético da linhagem B.1.1.28 da variante P.1, desenvolvida em Manaus;  presença da linhagem B.1.1.143 em uma amostra de São Lourenço e a presença da linhagem B.1.1.222 em uma paciente de Itajubá com histórico de viagem pelo México (Cancun com escala no Panamá) no mês de janeiro/2021.

De acordo com a SES os municípios onde foram encontradas essas mutações foram acionados para reforçar a investigação de pacientes infectados e seus contatos próximos.

Minas

Diagnósticos equivocados podem ter inflado epidemia de dengue em Minas

Publicado

no dia

A epidemia de dengue em Minas Gerais, que já registrou 795.820 casos em 2024, pode estar sendo inflada por diagnósticos equivocados. A febre oropouche, confirmada em 72 pessoas neste ano, é suspeita de ter sido confundida com dengue ou chikungunya devido à semelhança dos sintomas, segundo a Secretaria de Estado de Saúde.

> Siga o R24 no Instagram
> Acesse o canal do R24 no WhatsApp
> Acesse a Comunidade de WhatsApp do R24

O secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, explica que o vírus oropouche pode estar circulando no estado desde o ano passado. “Na região Leste de Minas e no Vale do Aço, onde achávamos que a chikungunya estava vindo muito forte, vimos que boa parte disso é febre oropouche. Provavelmente, esse vírus já estava circulando pelo menos desde o ano passado”, afirmou Baccheretti.

Os sintomas semelhantes, como febre, dor de cabeça e dor nas articulações, dificultaram a distinção entre oropouche, dengue e chikungunya. Isso levou a erros de diagnóstico, que agora estão sendo corrigidos com exames específicos, implementados após estados vizinhos, como Bahia e Espírito Santo, registrarem casos de oropouche.

“É uma doença que tem sintomas muito parecidos com a dengue e, especialmente, a chikungunya, como febre, dor de cabeça e dor nas articulações. Acabava que o diagnóstico, até então, era dado como dengue ou chikungunya”, prosseguiu o secretário.

A partir de agora, esses testes serão incorporados à rotina da secretaria, juntamente com os de dengue e chikungunya, reduzindo a probabilidade de erros futuros. Apesar do aumento nos casos, Baccheretti tranquiliza a população, afirmando que não será necessário reforço na rede hospitalar. “Não há qualquer caso de morte ou paciente em estado grave vinculado a essa doença”, disse ele.

O secretário também ressaltou que a febre oropouche não deve se expandir significativamente, pois, até o momento, não há relatos de transmissão pelo Aedes aegypti. A doença é transmitida por um mosquito comum em áreas de rios, matas e mangues, o que limita sua disseminação em áreas urbanas.

Quer receber notícias de Pouso Alegre e região e ser informado sobre as vagas de emprego diretamente no seu WhatsApp? Acesse o canal do R24 no WhatsApp


Não perca nada. Siga o R24 nas redes sociais:
Canal do WhatsApp| Facebook | Youtube | Instagram | Grupo de WhatsApp | Telegram | Twitter

Continuar lendo

Pouso Alegre

Começa a campanha de vacinação contra a poliomielite em Pouso Alegre

Publicado

no dia

Imagem: divulgação/Ascom/PMPA

Começou ontem, 27, a campanha de vacinação contra a poliomielite em Pouso Alegre. A imunização é voltada para crianças de um ano a menores de cinco anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias).

> Siga o R24 no Instagram
> Acesse o canal do R24 no WhatsApp
> Acesse a Comunidade de WhatsApp do R24

De acordo com a Prefeitura, a meta é vacinar no mínimo 95% do público alvo, o que equivale a um total de 7,5 mil crianças.

O município explica também que, para que a campanha tenha efetividade, é essencial que os pais, mães ou responsáveis apresentem a caderneta de vacinação das crianças, pois as aplicações da vacina serão feitas de acordo com a avaliação do cartão de vacinação.

Locais de Vacinação

A campanha conta com mais de 10 salas de vacinação distribuídas pelo município. Os endereços e horários de funcionamento estão disponíveis no site da Prefeitura (acesse aqui):

Entre os locais de vacinação, destaca-se o Centro de Vacinação que opera das 7h30 às 19h. Ele fica na Avenida Dr. João Beraldo, 567, no Centro.

Esquema Vacinal

O esquema vacinal é específico para cada faixa etária:

Menores de 1 ano: Três doses injetáveis, administradas aos 2, 4 e 6 meses de vida.
Crianças de 1 a 4 anos: Caso já tenham completado o esquema vacinal inicial, devem receber a dose oral da vacina.

Importância da Vacinação

A poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, é uma doença infecciosa viral transmitida de pessoa para pessoa, principalmente por via fecal-oral. A vacinação é uma medida crucial para a prevenção da doença. A cobertura vacinal acima de 95% da população infantil é fundamental para impedir a propagação do vírus.

Nos últimos anos, o Brasil tem registrado uma queda progressiva na cobertura vacinal contra a poliomielite. Recentemente, a Organização Panamericana de Saúde (OPAS) classificou o país como de alto risco para a reintrodução da doença. Portanto, a mobilização da comunidade e a participação dos responsáveis na campanha de vacinação são essenciais para proteger as crianças e manter a doença erradicada

Quer receber notícias de Pouso Alegre e região e ser informado sobre as vagas de emprego diretamente no seu WhatsApp? Acesse o canal do R24 no WhatsApp


Não perca nada. Siga o R24 nas redes sociais:
Canal do WhatsApp| Facebook | Youtube | Instagram | Grupo de WhatsApp | Telegram | Twitter

Continuar lendo

Pouso Alegre

Horário estendido: ESF do Pantano passa a contar com plantão noturno

Publicado

no dia

Unidade de Saúde do distrito de São José do Pantano | Foto: reprodução Ascom/PMPA

Uma ampliação de serviço muito aguardada pelos moradores de São José do Pantano começou a valer esta semana. A unidade de Estratégia de Saúde da Família (ESF) do distrito teve seu horário ampliado e, agora, além do período regular regular, que vai das 7h às 16h, conta também com um plantão noturno, que vai das 16h às 20h, de segunda a sexta-feira (veja o vídeo abaixo).

> Siga o R24 no Instagram
> Acesse o canal do R24 no WhatsApp
> Acesse a Comunidade de WhatsApp do R24

O horário estendido de atendimento já funciona em outros ESFs da cidade, como no Cidade Jardim, Colina de Santa Bárbara, Colina Verde, Esplanada, Pão de Açúcar, Santa Edwirges, São Camilo, São Geraldo e Sebastião Reis.

De acordo com a Prefeitura, além de ampliar o horário de atendimento para os moradores, a ideia é que os pacientes possam ganhar mais atenção dos profissionais de saúde. “Isso inclui não apenas o tratamento das condições médicas, mas também a escuta atenta das preocupações e necessidades individuais de cada pessoa”, diz o município.

O prefeito Cel. Dimas (Republicanos) visitou a unidade de saúde nesta segunda-feira e avaliou a ampliação do horário de atendimento. Ele lembrou que com o plantão noturno será mais fácil prestar assistência ao moradores que trabalham na lavouras da região.

Quer receber notícias de Pouso Alegre e região e ser informado sobre as vagas de emprego diretamente no seu WhatsApp? Acesse o canal do R24 no WhatsApp


Não perca nada. Siga o R24 nas redes sociais:
Canal do WhatsApp| Facebook | Youtube | Instagram | Grupo de WhatsApp | Telegram | Twitter

Continuar lendo

Mais lidas