® 2021 Rede Moinho 24 • Notícias de Pouso Alegre e região •

Saúde

2ª onda da Covid-19 em Pouso Alegre supera 1ª em total de casos e duração

Publicado

no dia

Cidade mantém média semanal de novos casos de Covid-19 acima de 100 desde o final de novembro | Foto: R24

Cidade já soma 12 semanas consecutivas com média de novos casos superior a 100, um recorde para toda a pandemia e que faz da segunda onda superior à primeira em total de casos e duração

O primeiro boletim epidemiológico da prefeitura divulgado esta semana mostra que Pouso Alegre registrou 119 novos casos de Covid durante o fim de semana. O número é mais que o dobro da semana anterior, quando 55 novas ocorrências foram confirmadas. Com isso, a cidade já chega à 12ª semana consecutiva com mais de 100 casos semanais da infecção, um recorde para todo o período da pandemia e que torna a duração deste novo pico superior ao primeiro.

 

Para se ter uma ideia, o primeiro pico da Covid-19 em Pouso Alegre, entre 13 de julho e 18 de setembro, durou 10 semanas, período em que 2112 novos casos foram registrados. No pico atual, chamado pelos especialistas de segunda onda da pandemia, ao longo de 12 semanas (sendo que a 12ª ainda se encerra na próxima sexta-feira), entre 30 de novembro de 2020 e 15 de fevereiro de 2021, já foram 2.885 novos casos.

No acumulado da pandemia, a cidade soma 6.411 casos de Covid-19. Deste montante, porém, 6.070 pessoas são consideradas recuperadas da doença e outras 242 estão em acompanhamento. O número de óbitos atribuídos à doença segue em 99.

Hospitalização

O primeiro boletim da semana mostra um total de 54 pacientes hospitalizados por conta da Covid-19. Metade deles estão em leitos clínicos, a outra metade em UTIs. A ala de tratamento intensivo está com 84% de lotação, sendo que o município mantém 32 leitos para os cuidados aos pacientes da infecção.

Publicidade
Comentários

Pouso Alegre

Pouso Alegre recebe 400 doses de CoronaVac, mas 1.063 aguardam 2ª aplicação

Publicado

no dia

Com doses insuficientes, município entrará em contato com os moradores priorizando aqueles que estão com a vacinação mais atrasada

Pouso Alegre recebeu nesta quarta-feira, 12, mais 400 doses da CoronaVac para segunda aplicação da vacina contra a Covid-19. Além do imunizante que está em falta, a cidade ainda recebeu outras 2.890 doses da vacina AstraZeneca.

Na semana passada, a Prefeitura chegou a suspender a segunda dose de imunização para aqueles que se vacinaram com a CoronaVac por falta do imunizante.

As 400 doses enviadas hoje não são suficientes para vacinar nem metade do contingente que aguarda pela segunda aplicação, um total de 1.063 pessoas, de acordo com a Prefeitura.

Com doses insuficientes para completar o ciclo de vacinação com o imunizante, o município entrará em contato com as pessoas que estão com a dose atrasada, dando prioridade para aquelas que tomaram a vacina há mais tempo.

Já as doses de AstraZeneca deverão ser direcionadas aos seguintes públicos, de acordo com a planilha do governo de Minas:

  • Trabalhadores da Saúde: 559 doses
  • Pessoas de 85 a 89 anos: 957 doses
  • Pessoas de 65 a 69 anos: 1.370 doses

 

Continuar lendo

Pouso Alegre

Banda da PM homenageia enfermagem em frente ao Hospital Samuel Libânio

Publicado

no dia

Os profissionais mais exigidos da pandemia foram lembrados de forma especial nesta quarta-feira, 12, que marca o Dia Internacional da Enfermagem.

Entre as homenagens recebidas estão uma apresentação da banda da Polícia Militar, que tocou para os profissionais em frente ao Hospital das Clínicas Samuel Libânio (HCSL).

A ação dos militares integra o projeto “Sons que Humanizam”, que tem levado música às instituições de saúde em meio ao duro enfrentamento da pandemia.

O evento contou com a participação de representantes da Prefeitura e da Câmara Municipal.

 

Continuar lendo

Pouso Alegre

Suspensão da AstraZeneca é ampliada para puérperas em Pouso Alegre

Publicado

no dia

Interrupção da aplicação da vacina contra covid-19 segue determinação da Anvisa, que suspendeu aplicação para investigar caso de gestante que faleceu após tomar o imunizante. Não há comprovação de que a morte esteja relacionada com a morte até o momento

Após suspender a vacinação de gestantes com a vacina ChAdOx-1, produzida pela Fiocruz em parceria com o laboratório AstraZeneca e a universidade de Oxford, a Secretaria Municipal de Saúde de Pouso Alegre anunciou na manhã desta quarta-feira, 12, a ampliação da suspensão também para puérperas, que são mulheres que deram à luz há pouco tempo.

A interrupção da aplicação do imunizante segue determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A orientação da agência reguladora ocorreu no final da noite de segunda-feira, 10. Ontem, o Ministério da Saúde

Segundo a Anvisa, a partir de agora, deve-se adotar o que é indicado pelo fabricante na bula da vacina, onde não consta a indicação para gestantes e puérperas, já que este público não participou dos ensaios clínicos no desenvolvimento do imunizante.

O Ministério da Saúde investiga o caso de uma gestante que morreu no Rio de Janeiro em um evento sugestivo de trombose, no qual uma paciente de 35 anos imunizada com a vacina de Oxford/AstraZeneca faleceu.

A mulher teria sofrido um acidente vascular cerebral hemorrágico que também resultou em óbito fetal. O caso, porém, ainda está em investigação e não há comprovação da relação entre a aplicação do imunizante e o episódio de trombose.

“Destaco aqui que é porque aconteceu esse evento raro. É uma cautela que o Programa Nacional de Imunizações (PNI) tem, até o fechamento do caso. E destaco também a importância que essa vacina tem para o PNI, para a população brasileira que está dentro dos grupos prioritários”, disse a coordenadora do PNI, Francieli Fantinato, em entrevista coletiva.

As outras duas vacinas em uso no país, a CoronaVac e a Pfizer, não possuem qualquer restrição para gestantes ou puérperas. No entanto, o município não dispões delas no momento.

Confira o comunicado:

A Secretaria Municipal de Saúde informa que a suspensão se dá em atendimento ao Memorando-Circular nº 46/2021/SES/SUBVS-SVE-DVAT-CI expedido pela Secretaria de Estado de Saúde, uma vez que a Anvisa recomendou a suspensão imediata do uso da vacina em decorrência do resultado do monitoramento de eventos adversos realizado de forma constante sobre as vacinas em uso no Brasil.

Continuar lendo

Mais lidas