Volta às aulas tem mudança de cardápio e desinfecção de material escolar

Educação

Volta às aulas tem mudança de cardápio e desinfecção de material escolar

Publicado

no dia

Em esquema de revezamento, cerca de 9 mil alunos retornam às aulas presenciais na rede municipal ao longo das próximas semanas

Depois de 11 meses, as salas de aula da rede municipal de ensino de Pouso Alegre voltaram a ser ocupadas por alunos e professores nesta segunda-feira, 22. Ao todo, cerca de 9 mil estudantes da educação infantil ao Ensino Fundamental II retornam às aulas presenciais ao longo dos próximos dias.

Mas eles não estarão todos de uma vez nas escolas. As aulas acontecem de forma alternada, limitando a presença de no máximo 30% dos alunos, a fim de resguardar o distanciamento entre eles, um dos marcos sanitários para evitar a contaminação pela coronavírus.

“Nós optamos pelos nonos e quintos anos, amanhã oitavos e quarto e, assim, sucessivamente. Na outra semana Pré-1 e Pré-2, mantendo o Fundamental e, na terceira semana, 0 a 3 anos e Cemeja”, explica a secretária de Educação Leila Fonseca.

60% dos pais optam por retorno dos filhos às aulas presenciais

Para que as aulas presenciais pudessem retornar nesta segunda, os pais e responsáveis dos alunos precisaram assinar um termo de responsabilidade no qual confirmavam a opção pela volta às escolas e os riscos envolvidos na decisão.

De acordo com a secretária de Educação, 60% dos pais optaram por esse caminho. “E uma grande preocupação dos paus é que, se ele fez essa opção, de início, pelo ensino não presencial, se depois que ele se sentir mais segurança, se ele pode retomar e fazer presencial. Ele pode retomar e voltar, sim, é um direito da criança”, garante a secretária.

Novo normal tem até mudança no cardápio e desinfecção de material didático

Quem visitou as escolas ao longo desta segunda, viu corredores com cordões de isolamento, profissionais de prontidão, portando álcool gel em frente às salas de aula e, sobre os rostos, as onipresentes máscaras de proteção.

Mas como era de se esperar, os cuidados nas salas de aula, precisam ir muito além. No CAIC da Árvore Grande, a professora mostrou aos alunos como os protocolos aos quais serão submetidos o material didático, antes de serem manuseados por eles.  Segurando uma apostila nas mãos, ela borrifa álcool em cada uma das folhas. “Elas precisam ser esterilizadas na sua frente. E você não pode emprestá-la para o colega”, explica.

Os cuidados sanitários tiveram impacto até no cardápio das escolas. A ideia é oferecer alimentos que continuem sendo nutritivos, saborosos, mas que tenham um baixo índice de manipulação para evitar contaminação.

“Foi até uma orientação do próprio MEC que ele seja mais fácil, simples de servir, com menos manuseio e manipulação”, explica Luciana Pereira, nutricionista da rede municipal de Educação.

Publicidade
Comentários

Educação

Cadastro na rede estadual de ensino para o ano de 2023 começa nesta quarta

Publicado

no dia

Estudantes que querem ingressar na rede pública ou precisam mudar de escola devem se inscrever até o dia 30 de novembro

Começa na quarta-feira (9/11) o Cadastro Escolar 2023 para os alunos que desejam ingressar na rede pública de ensino de Minas Gerais ou aqueles que precisam mudar de escola. As inscrições devem ser feitas exclusivamente pela internet, por meio do Sistema Único de Cadastro e Encaminhamento para Matrícula (Sucem), no período de 9 a 30 de novembro.

Por meio desta ferramenta, o cadastro e o encaminhamento dos candidatos às vagas, no ensino fundamental e ensino médio, serão realizados de forma unificada nos municípios que aderiram e estão participando da iniciativa. Ou seja, após a inscrição e divulgação do resultado, a escola indicada para a realização da matrícula, mais próxima da residência do estudante e que possua vaga para a etapa pleiteada, poderá ser municipal ou estadual.

Em Minas Gerais, 727 municípios que aderiram ao Sucem integram o Cadastro Escolar unificado, o que não é o caso de Pouso Alegre. Por meio do sistema, são disponibilizadas vagas para a rede estadual e municipal das cidades que adotaram o processo. Já nos demais municípios mineiros que não aderiram o cadastro e o encaminhamento contempla apenas as escolas estaduais.

Para se inscrever, os pais, responsáveis ou o aluno maior de idade interessado deverão acessar o Sucem e preencher os campos com o nome, data e local de nascimento, além do nome do pai, mãe ou responsável legal, entre outras informações, além de indicar qual é o tipo de ensino, nível e etapa que o aluno pretende cursar.

Todas as orientações para a realização do cadastro e critérios de encaminhamento dos candidatos podem ser consultadas na Resolução SEE Nº 4.775, de 19/10/22.

Quem deve se inscrever

Deverão se inscrever no Sucem as crianças com seis anos completos ou a completar até 31 de março de 2023, que irão ingressar no 1º ano do Ensino Fundamental; e estudantes dos demais anos de escolaridade do Ensino Fundamental e do Ensino Médio vindos de outras localidades ou de outra rede de ensino. Os alunos que já estudam na rede pública, mas precisam mudar de escola por motivo da não oferta de continuidade ou que venham a mudar de endereço, também devem realizar o cadastro no Sucem.

Aqueles que pretendem retornar aos estudos na modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA) também podem se cadastrar, lembrando que para ingresso na EJA é necessário que seja observada a idade mínima de 15 anos para o Ensino Fundamental e 18 anos para o Ensino Médio. Também é público do Sucem os alunos que perderam o prazo de renovação da matrícula para o ano de 2023 e aqueles que pretendem ingressar em cursos da Educação Profissional em uma escola da rede estadual.

Encaminhamento para a matrícula

O encaminhamento para a matrícula dos alunos inscritos no Sucem será realizado de acordo com a disponibilidade de vagas por turno, o espaço físico de cada escola, o tipo de atendimento prestado e o nível de ensino ofertado, sempre respeitando os critérios de alocação e desempate na seguinte ordem de prioridade: I – aluno com deficiência; II – zoneamento; III – zona; IV – aluno com irmãos que frequentem a escola pretendida, respeitando-se o zoneamento; V – aluno já integrante da rede pública de ensino e VI – aluno com menor idade.

No dia 12/12, o estudante deve acessar o site do Sucem com o número de inscrição para verificar a escola para a qual foi encaminhado. Com a documentação necessária, a família ou estudante deverá procurar a unidade escolar para qual foi direcionado e efetuar a matrícula até o dia 13/1/2023. Vale destacar que a vaga do estudante estará assegurada apenas após a efetivação da matrícula.

O candidato que não realizar a inscrição no prazo estabelecido não será encaminhado para a matrícula em escolas públicas, devendo submeter-se à inscrição para o processo de ocupação das vagas remanescentes, que ocorre entre os dias 24/1 a 10/2/2023. A SEE/MG alerta para que os estudantes façam o cadastramento dentro do prazo para garantir o início do ano letivo de 2023 com tranquilidade.


Não perca nada. Siga o R24 nas redes sociais:
Facebook | Youtube | Instagram | Grupo de WhatsApp | Telegram | Twitter

Continuar lendo

Educação

Abertas inscrições para educação infantil e creches em Pouso Alegre. Saiba o que fazer

Publicado

no dia

A Secretaria Municipal de Educação e Cultura (SMEC) de Pouso Alegre abriu as inscrições para os alunos nos Centros de Educação Infantil Municipal (CEIM’s) e Pré. As vagas são destinadas para crianças de 0 a 3 anos e estudantes do pré I e II, de 4 e 5 anos, para o ano letivo de 2023.

As inscrições podem ser feitas na Secretaria Municipal de Educação e Cultura (SMEC), na Rua Tupnambás, sem número – em prédio anexo à Prefeitura, ou na escola municipal mais próxima da residência até o dia 20 de novembro.

O município ressaltou no comunicado à imprensa que “poderão inscrever-se, exclusivamente, as famílias residentes no município de Pouso Alegre, comprovando com documento no momento da matrícula. A SMEC destaca ainda que para matrícula é solicitado que o aluno esteja com a carteira de vacinação completa, incluindo a vacina contra a poliomielite conforme a recomendação 6 – 2022, de 12/09/2022 do Ministério Público de Minas Gerais”.

Ingresso de novos alunos no Ensino Fundamental

Os responsáveis pelas crianças e adolescentes, que desejam se inserir em instituições municipais para o Ensino Fundamental, devem se inscrever entre 09/11/2022 a 30/11/2022. As inscrições serão feitas no SUCEM – Sistema Único de Cadastro e Encaminhamento para Matrícula, por meio do link: https://cadastroescolar.educacao.mg.gov.br/app/


Não perca nada. Siga o R24 nas redes sociais:
Facebook | Youtube | Instagram | Grupo de WhatsApp | Telegram | Twitter

Continuar lendo

Educação

Após avaliação judicial e acordo, Prefeitura vai desapropriar CNEC por R$ 19 milhões

Publicado

no dia

A disputa judicial entre a Prefeitura Municipal de Pouso Alegre e a Campanha Nacional de Escolas da Comunidade (CNEC) deve chegar ao fim. Após uma reavaliação judicial do imóvel, que estipulou o preço da área do colégio em R$ 22,35 milhões, as partes chegaram a um valor final a ser pago pela desapropriação do prédio da escola particular: R$ 19 milhões.

A desapropriação de um dos colégios particulares mais tradicionais de Pouso Alegre, que nos últimos anos vinha enfrentando dificuldades, foi iniciada em 3 de novembro de 2021, ainda sob a gestão de Rafael Simões (UB). A medida, de acordo com a Prefeitura, visa obter um prédio educacional com localização central no município para atender a demanda da rede municipal de ensino, abrigando cerca de 1 mil alunos.

Como a CNEC não aceitou a proposta inicial de desapropriação feita pelo município, o caso foi parar na Justiça. À época, a Prefeitura de Pouso Alegre depositou R$ 12,2 milhões em juízo para garantir a posse do prédio de pouco mais de 4 mil metros quadrados.

A primeira instância, sob decisão do do juiz José Hélio da Silva, até concedeu a posse do imóvel para o município, mas o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) acabou devolvendo a posse para a CNEC até que uma nova avaliação judicial do valor do imóvel fosse feita.

A perícia judicial estimou o valor de mercado do prédio que a Prefeitura pretendia desapropriar em R$ 22.356.823,79. A partir daí, as partes iniciaram uma nova negociação em torno do preço final e acabaram chegando à cifra de R$ 19 milhões.

Para concretizar o acordo e tomar posse do prédio da CNEC, a Prefeitura precisa agora aprovar um projeto de lei na Câmara de Vereadores, obtendo a autorização dos vereadores para concluir a desapropriação sob os termos firmados na Justiça.

CNEC chegou a oferecer prédio por R$ 16,4 milhões antes do caso ir à Justiça

Antes da desapropriação ir parar na Justiça, a CNEC chegou a pedir R$ 16,4 milhões à Prefeitura para que o processo de desapropriação do caso fosse feito de forma amigável. Mas uma avaliação contratada pelo município estimara o valor do prédio – de mais de 4 mil metros quadrados, edificado sob um terreno de mais de 3 mil metros em uma região central da cidade – em pouco mais de R$ 12,2 milhões.

Já na Justiça, a pericia estabeleceu um valor de mercado mais de R$ 10 milhões acima do estimado pela Prefeitura: R$ 22,3 milhões. Ainda foi preciso uma nova negociação com a CNEC para que o valor chegasse a R$ 19 milhões.

Simões anuncia posse do prédio antes da reversão no TJMG, em 15 de novembro:

Confira tudo que o R24 publicou a respeito do caso:

> Simões anuncia desapropriação da CNEC e colégio vai à Justiça

> Secretária defende desapropriação do colégio CNEC

> Educação terá R$ 12,3 milhões para aquisição e desapropriação

> CNEC contesta versão da Prefeitura e diz que propôs parceria para o município

> Após desapropriação, Prefeitura toma posse do prédio da CNEC em Pouso Alegre

> Prefeitura oferta R$ 12,2 milhões por prédio, mas CNEC pede R$ 16,4 milhões

> TJMG suspende decisão que deu posse do prédio da CNEC à Prefeitura de Pouso Alegre


Não perca nada. Siga o R24 nas redes sociais:
Facebook | Youtube | Instagram | Grupo de WhatsApp | Telegram | Twitter

Continuar lendo

Mais lidas