Copasa reconhece operar no limite, e não explica demora em ampliar oferta de água

Previous
Next
Previous
Next

Política

Copasa reconhece operar no limite, e não explica demora em ampliar oferta de água

Publicado

no dia

A Copasa opera em Pouso Alegre no limite de sua capacidade. Por isso, temporais severos, quedas de energia, furtos de fiação e mesmo danos aleatórios à sua rede de infraestrutura podem submeter boa parte da cidade à falta d’água. E tem mais: antes de melhorar, com uma série de investimentos anunciados, ainda pode piorar.

Essa é a resposta curta e grossa que pode ser dada para o caos enfrentado pelo abastecimento de água em Pouso Alegre a partir da explanação feita pelo gerente regional da Copasa, Joab Borges, na Câmara Municipal na noite de terça-feira.

Ele representou a Copasa em mais uma convocação feita pelos vereadores para que a companhia desse explicações sobre os constantes períodos de falta d’água enfrentados pelo município, especialmente na região sul, na faixa que compreende desde o bairro São Geraldo até o Morumbi.

Joab alegou que a falta d’água se deu por uma série de problemas enfrentados na estação de tratamento do Chapadão, que coleta água do Rio Sapucaí Mirim e atende cerca de 40% da população. Ele citou o roubo de cabos elétricos, quedas de energia e uma obra da prefeitura realizada na entrada do bairro Morumbi.

O gerente afirmou que a partir do primeiro trimestre do ano que vem, terá início o investimento de R$ 60,3 milhões para ampliação da captação, tratamento e reservatórios de água.

Copasa optou por não fazer investimentos antes

Durante a fala de Joab na tribuna da Câmara ficou claro que a falta d’água enfrentada pela cidade nos últimos meses é resultado de anos de falta de investimento.

O R24 tentou entrevistar o gerente depois que ele concluiu sua explanação, mas ele disse não estar autorizado a dar entrevistas sem a autorização da assessoria de imprensa da Copasa. Ainda assim, insistimos que ao menos desse mais esclarecimentos, ainda que não pudesse gravar.

Questionamos por que os investimentos para a ampliação da coleta e tratamento de água não foram feitos antes. Joab admitiu que o assunto já vem sendo discutido há pelo menos cinco anos,  mas não soube explicar o que levou ao investimento tão tardio. Questionado se era uma ‘decisão corporativa’, ele deu a entender que sim.

O que se sabe sobre a falta d’água em Pouso Alegre

1. Copasa opera no limite de sua capacidade

Embora conhecesse a curva de crescimento da demanda por abastecimento de água em Pouso Alegre, a Copasa opou por não fazer investimentos na ampliação da coleta, tratamento e armazenamento de água em Pouso Alegre.

Com sua rede de abastecimento defasada, a Companhia opera hoje no limite de sua capacidade, o que leva à falta d’água em grandes regiões da cidade na ocorrência de qualquer imprevisto, como tempestades, quedas de energia e furtos de cabos elétricos.

A fragilidade do sistema levou quase 40% da população, residentes na região sul da cidade, a ficar sem água em suas residências por pelo menos quatro períodos, em cada um deles por um ou mais dias, apenas no mês de novembro.

2. Empresa promete investimentos de R$ 60 milhões

Emparedada, a companhia anunciou recentemente, e reafirmou durante a sessão da Câmara, que pretende investir R$ 60 milhões em obras de ampliação de sua rede de coleta, tratamento e armazenamento de água, ampliando consideravelmente a produção de água na cidade.

A previsão é que as obras tenham início no primeiro trimestre do ano que vem e se estendam por 36 meses. Até lá, é provável que novos casos de falta d’água afetem os moradores.

A principal ampliação se daria na Estação de Tratamento de Água do Chapadão, responsável por atender a região sul. Ela passaria a produzir 300 litros de água por segundo, mais que dobrando a capacidade atual que é de 138 litros.

A cidade ainda passaria a contar com mais cinco reservatórios de água em pontos estratégicos e teria automatizado o controle do nível de água desses reservatórios para acompanhamento em tempo real.

Essas medidas, de acordo com a Copasa, seriam suficientes para atender a demanda de Pouso Alegre até o final do atual contrato de concessão, que segue até o ano de 2046.

Quer receber notícias de Pouso Alegre e região e ser informado sobre as vagas de emprego diretamente no seu WhatsApp? Acesse o canal do R24 no WhatsApp


Não perca nada. Siga o R24 nas redes sociais:
Canal do WhatsApp| Facebook | Youtube | Instagram | Grupo de WhatsApp | Telegram | Twitter

Política

Operação no Sul de Minas e São Paulo mira esquema que desviou milhões da Saúde

Publicado

no dia

Imagem: reprodução

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) deflagrou nesta sexta, 24, a operação Resgate, com o objetivo de aprofundar as investigações acerca de um grupo criminoso que movimentou pelo menos R$ 17 milhões em desvios de recursos da saúde pública.

> Siga o R24 no Instagram
> Acesse o canal do R24 no WhatsApp
> Acesse a Comunidade de WhatsApp do R24

Os mandados foram cumpridos nas cidades de Alfenas e Fama, no Sul de Minas, e Ubatuba e Limeira, em São Paulo. As ordens judiciais contra os suspeitos abarcam cinco prisões preventivas, 12 mandados de busca e apreensão, sequestro e arresto de ativos (R$ 15 milhões), imóveis, carros, motocicletas, jet-skis, lanchas e outras embarcações utilizadas pelo grupo criminoso.

De acordo com o MP, o suposto esquema envolve, até o momento, 15 pessoas, organizações da sociedade civil (OSC) e empresas. Os indícios apontam para utilização de ‘laranjas’ e empresas com intuito de desviar recursos, dissimular e ocultar os reais beneficiários dos crimes, movimentando mais de R$ 17 milhões, nos estados de Minas Gerais e São Paulo.

Operação conjunta mobilizou diversas foças

A operação contra o suposto grupo criminoso envolveu diversas forças de investigação e de segurança.  Ela foi foi deflagrada a partir da atuação da 6ª Promotoria de Justiça de Alfenas, com apoio do Centro de Apoio Operacional de Defesa da Ordem Econômica e Tributária (Caoet), por meio da Coordenadoria Estadual de Rastreamento de Ativos e Combate à Lavagem de Dinheiro (Cora-LD), com apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Passos e Varginha e do Gaeco de São Paulo, Polícia Militar e Polícia Civil.

Participaram das atividades desta sexta-feira: dez promotores de Justiça, cinco servidores do MPMG, dois delegados, 13 policiais civis e 50 policiais militares.

Quer receber notícias de Pouso Alegre e região e ser informado sobre as vagas de emprego diretamente no seu WhatsApp? Acesse o canal do R24 no WhatsApp


Não perca nada. Siga o R24 nas redes sociais:
Canal do WhatsApp| Facebook | Youtube | Instagram | Grupo de WhatsApp | Telegram | Twitter

Continuar lendo

Política

Prefeitura inaugura Centro Integrado de Defesa Social na próxima segunda

Publicado

no dia

Imagem: Ilustração/Pixabay

A Prefeitura de Pouso Alegre (MG) inaugura na próxima segunda-feira, 27, o Centro Integrado de Defesa Social. O prédio vai funcionar na região central da cidade e contará com uma central de comando que vai captar imagens registradas por 174 câmeras espalhadas por todas as regiões do município.

> Confira o especial Eleições 2024
> Siga o R24 no Instagram
> Acesse o canal do R24 no WhatsApp
> Acesse a Comunidade de WhatsApp do R24

O centro já havia sido anunciado pelo prefeito Cel. Dimas (Republicanos) durante o lançamento de sua pré-candidatura à reeleição, reforçando a segurança pública como um dos motes de sua plataforma eleitoral. Cel. Dimas classificou a medida como sendo “uma muralha de proteção da cidade”.

Volta da Guarda Municipal

A criação do Centro Integrado de Defesa Social se soma a outra medida de impacto anunciada pelo atual prefeito para o setor. Também no lançamento de sua pré-candidatura, ele afirmou que já determinou a elaboração de um edital para recriação da Guarda Municipal.

Segundo ele, a corporação estará de volta com a missão de aumentar a sensação de segurança dos moradores especialmente em praças e parques públicos.

Quer receber notícias de Pouso Alegre e região e ser informado sobre as vagas de emprego diretamente no seu WhatsApp? Acesse o canal do R24 no WhatsApp


Não perca nada. Siga o R24 nas redes sociais:
Canal do WhatsApp| Facebook | Youtube | Instagram | Grupo de WhatsApp | Telegram | Twitter

Continuar lendo

Minas

‘Zema caloteiro’: por aumento real de salario, policiais  protestam em Pouso Alegre

Publicado

no dia

Manifestações se repetiram em diversas cidades de Minas. Na imagem, manifestação em Pouso Alegre (à esq.) e na ALMG, em Belo Horizonte (à dir.) | Imagens: reprodução de redes sociais

Os servidores estaduais seguem demonstrando sua insatisfação com a proposta de recomposição salarial apresentada pelo governo Zema, de 3,62%.

Reverberando atos realizados em outras cidades mineiras, nesta terça-feira, 21, policiais civis, militares, penais e bombeiros, ativos e inativos, se reuniram no centro de Pouso Alegre para protestar contra o reajuste e exigir um aumento maior. A categoria também se insurge contra proposta do governo Zema de aumentar a contribuição previdenciária dos militares (veja vídeo a seguir).

> Siga o R24 no Instagram
> Acesse o canal do R24 no WhatsApp
> Acesse a Comunidade de WhatsApp do R24

O ato em Pouso Alegre reuniu agentes das forças de toda a região e se concentrou na Praça Senador José Bento e percorreu algumas ruas centrais, passando em frente aos prédios da Polícia Militar e da Polícia Civil.

A classe alega que este pode ser o oitavo ano sem aumento real de salário. Para piorar, o reajuste proposto por Zema, de 3,62%, é inferior à inflação registrada em 2023, quando o índice ficou em 4,62%.

A relação das forças de segurança com o governo Zema, que nunca foram tranquilas, voltam a se deteriorar. A medida da insatisfação da categoria ficou evidente nas palavras de ordem entoadas pelo centro de Pouso Alegre. Um aviso: “A policia vai parar”; e uma ofensa: “Zema caloteiro, devolve o meu dinheiro”.

Em um vídeo que ganhou as redes sociais, um manifestante compara o reajuste que Zema deu ao próprio salário e o que está oferecendo aos servidores: “298% de aumento pra ele e 3,62% pra quem vai pra rua atrás de bandido, né”, aponta o manifestante revoltado.

Proposta de reajuste passa em primeira comissão da Assembleia

Apesar da enorme pressão feita pelos servidores, a proposta de reajuste do governo Zema foi aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa de Minas (ALMG).

Para ser aprovado, o texto ainda terá que passar pelas comissões de Administração Pública e de Fiscalização Financeira e Orçamentária, para só então ir ao plenário, onde será votada em dois turnos.

A votação na CCJ se deu em meio a protestos dos servidores estaduais, que estiveram na assembleia para acompanhar a votação.

Quer receber notícias de Pouso Alegre e região e ser informado sobre as vagas de emprego diretamente no seu WhatsApp? Acesse o canal do R24 no WhatsApp


Não perca nada. Siga o R24 nas redes sociais:
Canal do WhatsApp| Facebook | Youtube | Instagram | Grupo de WhatsApp | Telegram | Twitter

Continuar lendo

Mais lidas