® 2021 Rede Moinho 24 • Notícias de Pouso Alegre e região •

Educação

Simões assina decreto que autoriza retorno das aulas presenciais em Pouso Alegre

Publicado

no dia

Reprodução: ®Rede Moinho 24

Decreto prevê retorno para fevereiro, mas não precisa data. Há ainda previsão da volta às aulas em forma de revezamento, ponto que o decreto também não detalha

 

O prefeito Rafael Simões (DEM) assinou nesta quarta-feira, 13, um decreto que autoriza o retorno das aulas presenciais em Pouso Alegre a partir do mês de fevereiro. O decreto 5.233 não estipula uma data exata e traz ainda as exigências que deveram ser cumpridas por escolar públicas e privadas no retorno das atividades.

Segundo o texto do decreto, as instituições de ensino deverão garantir:

  • distanciamento mínimo de 1,5 metro entre as carteiras;
  • manutenção do ensino remoto em caráter complementar ou alternativo;
  • protocolo sanitário de retorno às atividades presenciais previamente aprovado pela Vigilância Sanitária Municipal

 

> Confira a íntegra do decreto 5.233

 

Ainda de acordo com o decreto, o retorno às atividades escolares deve acontecer gradualmente e em sistema de revezamento a fim de evitar aglomerações. O texto, no entanto, não deixa claro como e em que medida ocorrerá esse revezamento.

Também segundo o decreto, alunos e responsáveis terão autonomia para decidir se participam ou não das atividades presenciais. Mais uma vez, porém, o decreto não esclarece os termos da adesão.

Publicidade
Comentários

Educação

Profissionais da educação de Pouso Alegre serão todos vacinados esta semana

Publicado

no dia

Leila Fonseca fala sobre antecipação da vacinação dos profissionais da educação

Antecipação da vacinação dos profissionais da educação se dá em meio ao baixo comparecimento dos estudantes às aulas presenciais. Com a medida, secretária de Educação espera que pais sintam “mais segurança para levar os filhos para a escola” 

A Prefeitura de Pouso Alegre informa nesta segunda-feira, 14, que vai vacinar todos os profissionais da educação do município contra a Covid-19 esta semana. A expectativa é que cerca de 4,5 mil pessoas do segmento sejam vacinadas com a 1ª dose até o próximo sábado, 19.

Para receber o imunizante contra a Covid, os profissionais precisam apresentar o comprovante de vínculo ativo com instituições de educação.

De acordo com a prefeitura, a vacinação será feita em escala, da seguinte forma:

  • Segunda e terça-feira: professores da educação infantil;
  • Quarta e quinta-feira: professores do ensino fundamental;
  • Sexta-feira: professores do ensino médio;
  • Sábado: professores do ensino superior.

De segunda a sexta-feira, as vacinas serão aplicadas das 13h às 18h, nos seguintes Postos de Saúde:

  • Posto Puericultura
  • UBS do Cidade Jardim
  • UBS do São João
  •  UBS do São Cristóvão
  • UBS do Pão de Açúcar
  • UBS do Colinas de Santa Bárbara.

No sábado a vacinação ocorre nos mesmos locais, das 8h as 16h.

Para vacinar é preciso levar a Carteira de Vacinação, documento com foto e documento que comprove vínculo trabalhista ativo.

Secretária espera que com vacinação, adesão de estudantes às aulas presenciais aumentem.

“Assim, vai acalmando a população e vai acalmando os nossos pais, e vão sentindo mais segurança para levar os filhos para a escola”, disse a secretária de Educação Leila Fonseca, em entrevista a uma emissora de TV no início da tarde de hoje.

Segundo a gestora, a decisão de antecipar a vacinação dos professores teria sido tomada na manhã desta segunda-feira, 14, em meio à baixa procura dos estudantes na retomada das aulas presenciais no município.

A estrutura preparada para a volta às aulas foi pensada para receber ao menos 30% dos cerca de 15 mil alunos em regime de revezamento, mas apenas 15% deles estariam comparecendo.

 


Não perca nada. Siga o R24 nas redes sociais: Facebook | Youtube | Instagram Grupo de WhatsApp

Continuar lendo

Educação

Minas anuncia volta às aulas nas cidades que estão na onda amarela e verde

Publicado

no dia

Aulas retornam a partir do dia 21 para alunos do 1º ao 5º ano, mas retorno só vale para as regiões que estão na onda amarela do ‘Minas Consciente’. Pouso Alegre está na onda vermelha

Como o R24 já havia antecipado, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) decidiu nesta quinta-feira, 10, pela retomada das aulas presenciais na rede estadual de ensino. O retorno deve obedecer normas sanitárias de distanciamento e higiene, que devem ganhar divulgação visível em cada escola.

Assim que foi comunicada da decisão, a Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG) anunciou para a próxima segunda-feira, 14, o retorno dos professores às atividades presenciais e, na semana seguinte, a dos alunos, a começar pelo ensino fundamental, do 1º ao 5º ano.

Além disso, o retorno só vale para as regiões e cidades que estão nas ondas amarelas ou verde do Minas Consciente. Não é o caso do Sul de Minas, nem de Pouso Alegre, que estão na onda vermelha, estágio mais restritivo do programa, por conta de suas altas taxas de incidência da Covid-19 e lotação dos hospitais.

“O retorno será seguro, com regras de distanciamento e de higienização; gradual, começando apenas com as turmas do 1° ao 5° ano do ensino fundamental; e facultativo, em que cada família decide se quer retornar presencialmente nos municípios que estiverem nas ondas verde e amarela do Plano Minas Consciente e onde a prefeitura não apresentar restrições”, informa a secretaria estadual.

Neste momento, estão em onda amarela as regiões Triângulo Norte e Vale do Aço. Portanto, apenas as escolas que oferecem anos iniciais localizadas nessas regiões poderão retornar às atividades na próxima segunda-feira (14/6).

Para a volta das atividades pedagógicas presenciais, as unidades de ensino irão seguir a Resolução SEE 4506/2021, que institui o ensino híbrido como modelo educacional para este ano letivo na rede estadual, com alternância de atividades presenciais e remotas. A resolução prevê a aplicação dos protocolos de biossegurança da Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG) e as diretrizes estabelecidas pela Deliberação do Comitê Extraordinário Covid-19 Nº 129.

A SEE/MG continuará oferecendo o Regime Especial de Atividades Não Presenciais e a carga horária e frequência dos estudantes continuam a ser contabilizados por meio do Plano de Estudos Tutorado (PET) e das atividades complementares elaboradas pelo professor.

A cada 14 dias serão avaliadas as condições de cada localidade e os indicadores epidemiológicos para que seja programado um avanço na retomada. Após os anos iniciais, a previsão é de que seja realizado o retorno do 3° ano do ensino médio, seguido pelo 9° ano do ensino fundamental.

Checklist

Todos os gestores escolares precisam cumprir uma lista de tarefas (checklist), em cada unidade de ensino, para organizar o ambiente da escola para o recebimento de estudantes e funcionários. “Desde o ano passado, as escolas estão se adequando para começar o ensino híbrido. Somente retomarão as atividades presenciais as unidades que cumpriram todo o checklist. As escolas que ainda se encontram em preparação serão monitoradas para cumprimento de todas as determinações”, destaca a subsecretária de Desenvolvimento da Educação Básica da SEE, Izabella Cavalcante Martins.

Em todo o estado, até o momento, mais de 73% das unidades de ensino já apresentaram o checklist e estão prontas para iniciar as atividades.


Não perca nada. Siga o R24 nas redes sociais: Facebook | Youtube | Instagram Grupo de WhatsApp

Continuar lendo

Educação

Secretária pede ajuda para aumentar adesão às aulas presenciais em Pouso Alegre

Publicado

no dia

Município esperava receber ao menos 30% dos alunos na volta das aulas presenciais, mas número teria ficado muito abaixo da expectativa. A secretária de Educação, Leila Fonseca, fez pedido de ajuda na tribuna da Câmara de Vereadores, onde foi prestar contas das ações de sua pasta

A secretária municipal de Educação de Pouso Alegre, Leila Fonseca, pediu ajuda na noite desta terça-feira, 08, por conta do baixo comparecimento de estudantes nas aulas presenciais da rede municipal. Segundo ela, o número de famílias que optou por enviar seus filhos às aulas presenciais após a retomada das atividades, em 24 de maio, está muito abaixo do esperado.

“Neste retorno, nós constatamos um reduzido número de alunos nas aulas presenciais. Esperávamos 30% dos 14.353 e tivemos um baixo número”, declarou na tribuna da Câmara de Vereadores, sem precisar o número de estudantes que compareceram às aulas presenciais.

Leila foi à Câmara prestar contas das ações da pasta que comanda a pedido do prefeito Rafael Simões (DEM), que se irritou com uma declaração do vereador Hélio Carlos (MDB), que, semanas atrás, sugeriu que a gestão da educação na administração Perugini seria superior à atual.

Baixo comparecimento nas escolas surpreende secretária

Atualmente as escolas da rede municipal de Pouso Alegre operam em regime de ensino híbrido. Os pais e responsáveis que assim decidirem podem mandar os filhos para as escolas, aqueles que não quiserem, podem mantê-los em casa para seguir no ensino remoto.

Mas a baixa adesão das famílias surpreendeu a secretária. “Por que que essas crianças não estão indo para a aula? Por que que essas crianças estão no parquinho? Por que que essas crianças estão lá jogando bola nos campinhos e na hora de ir para a escola têm medo de pegar o vírus?”, questionou.

Sem se dirigir diretamente às famílias ou aos vereadores, a secretária pediu ajuda. “Eu não represento sozinha a educação de Pouso Alegre. Eu sou apenas uma voz. Todos nós somos representantes da educação de Pouso Alegre. Todos nós somos corresponsáveis por ela, então nós precisamos que os alunos voltem para as salas de aula, sim”, insistiu.

A secretária comparou a presença de alunos nas escolas públicas e privadas e em outros níveis de ensino para ressaltar seu estranhamento.

“Eu fiz questão de circular em alguns lugares. As escolas particulares estão lotadas, dentro dos números dos protocolos. o CAP do Padre Mário está lotado, o Educandário que não é escola regular está lotado, a Escola Profissional que não é escola regular está lotada e por que que a escola municipal não tem aluno?”, voltou a questionar.

A chefe da pasta ainda lembrou que 50% dos estudantes da rede municipal não possuem acesso à internet ou equipamentos eletrônicos que os permitam acessar as aulas remotas, o que dificulta ainda mais a efetividade do ensino à distância.

 


Não perca nada. Siga o R24 nas redes sociais: Facebook | Youtube | Instagram Grupo de WhatsApp

Continuar lendo

Mais lidas