® 2021 Rede Moinho 24 • Notícias de Pouso Alegre e região •

Economia

Comércio faz mutirão para consumidores ‘limparem o nome’ em Pouso Alegre

Publicado

no dia

Imagem ilustrativa | Divulgação/ Acipa

Começou nesta segunda, 29, em Pouso Alegre mais um mutirão do comércio local para ajudar os consumidores a renegociar dívidas, limpar o nome e voltar a ter crédito na praça.

A campanha “Acertando as Contas” é fruto de uma parceria da Associação do Comércio e Indústria, a Acipa, com a Boa Vista SCPC.

De hoje até 3 de dezembro, das 8h às 18h, consumidores podem se dirigir à sede da Acipa, no centro da cidade, para consultar, gratuitamente, se há dividas em seu CPF no cadastro da SCPC. No passo seguinte, a associação encaminha o consumidor “para a renegociação diretamente no estabelecimento do credor participante, munido de um cupom que deverá ser apresentado para obter condições especiais a fim de quitar as dívidas”, explica o informe da Acipa.

Quarto ano da campanha

“Pelo quarto ano, a associação participa da ação que sempre tem resultados positivos e que beneficia consumidores e empresas”, observa o presidente da Acipa, Ibrahim Elias Kallás.

 


Não perca nada. Siga o R24 nas redes sociais:
Facebook | Youtube | Instagram | Grupo de WhatsApp | Telegram

Economia

Pouso Alegre volta à vice-liderança da economia regional. Extrema dispara na frente

Publicado

no dia

Em um ano, o Produto Interno Bruto (PIB) de Pouso Alegre passou de R$ 7,64 para R$ 8,78 bilhões. O forte crescimento permitiu à cidade recuperar o posto de segunda maior economia do Sul de Minas, superando Poços de Caldas, que chegou a R$ 7,66 bilhões. Em um outro patamar do ranking econômico regional, porém, está Extrema. A cidade de pouco mais de 37 mil habitantes se descolou de vez dos demais municípios da região, alcançando a incrível cifra de R$ 10,1 bilhões de riquezas produzidas em um ano.

Os dados são do levantamento anual feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) acerca do PIB dos municípios. Apesar de ter sido divulgado no dia 17 de dezembro, os dados são referentes ao ano de 2019.

PIB regional chega a R$ 88,2 bilhões

De acordo com um levantamento feito pelo Departamento de Pesquisa do Grupo Unis e o Grupo de Estudos Econômicos do Sul de Minas Gerais (GEESUL), com base nos dados do IBGE, considerando os 155 municípios que compõem o Sul de Minas, o resultado total do PIB regional em 2019 foi de R$ 88,2 bilhões em preços correntes.

Também de acordo com o estudo, aplicando o deflator de 2019, o valor real da produção (excluindo a variação dos preços) é de R$ 84,6 bilhões, representando um crescimento econômico de 7,54% em comparação com o ano anterior. Esse crescimento foi maior que no ano de 2018, quando a evolução do PIB regional foi de 4,32%. Importante destacar que os dados são de 2019 e não representam ainda os impactos advindos da pandemia.

As dez maiores economias da região

No ranking das dez maiores economias do Sul de Minas permanecem os mesmos municípios, mas com algumas trocas de posições. Como dito, Pouso Alegre voltou a ultrapassar Poços de Caldas e assumiu a segunda posição do ranking. Além disso, Passos ultrapassou Alfenas e ocupa, agora, a sétima posição no ranking. Confira:

Município PIB (2019)
1º Extrema R$ 10,13 bilhões
2º Pouso Alegre R$ 8,78 bilhões 
3º Poços de Caldas R$ 7,66 bilhões
4º Varginha R$ 6,29 bilhões
5º Itajubá R$ 3,17 bilhões 
6º Lavras R$ 2,76 bilhões 
7º Passos R$ 2,68 bilhões 
8º Alfenas R$ 2,58 bilhões 
9º Três Corações R$ 2,45 bilhões 
10º Guaxupé R$ 2,23 bilhões 

Extrema também lidera PIB per capta

Quando o assunto é o PIB per capta, ou seja, a soma das riquezas produzidas dividida pela população estimada de cada município, Extrema volta a ocupar lugar de destaque. Com PIB per capta de R$ 279,8 mil, o município ocupa o 2º lugar do ranking em Minas e o 11º no Brasil.

No Sul de Minas, lidera com folga sendo seguida de longe por São José da Barra, cujo PIB per capta é de R$ 106,6 mil. Pouso Alegre aparece na 5º colocação, com R$ 58,3 mil. Confira o ranking:

Município PIB per capita
1º Extrema R$ 279.824,02 
2º São José da Barra R$ 106.626,01 
3º São Sebastião da Bela Vista R$ 81.626,52 
4º Itapeva R$ 80.296,68 
5º Pouso Alegre R$ 58.312,84 
6º Itamonte R$ 53.851,17 
7º Cambuí R$ 52.872,60 
8º Ijaci R$ 47.066,83 
9º Varginha R$ 46.457,40 
10º Poços de Caldas R$ 45.798,92 

Extrema multiplica seu PIB por sete em uma década

Com pouco mais de 37 mil habitantes, Extrema desbancou os três maiores polos-regionais do Sul de Minas, Poços de Caldas, Pouso Alegre e Varginha, para se tornar a grande potência industrial e econômica da região. O feito se deu a partir de uma política assertiva na atração de investimentos no setor industrial, movimento facilitado pela localização do município, na divisa com São Paulo e às margens da Fernão Dias.

Para se ter uma ideia do crescimento econômico sem precedentes vivido pela cidade basta verificar que, em 2009, seu PIB era de pouco mais de R$ 1,4 bilhão, o que já era um bom desempenho para a época e as dimensões do município. Ainda assim, seria difícil imaginar que a cidade multiplicaria seu PIB em mais de 7 vezes em uma década.

Para efeito de comparação, Pouso Alegre, mesmo ostentando uma taxa de crescimento também impressionante, multiplicou seu PIB em pouco mais de 3 vezes, apurando a metade do crescimento de sua vizinha.

 


Não perca nada. Siga o R24 nas redes sociais:
Facebook | Youtube | Instagram | Grupo de WhatsApp | Telegram

Continuar lendo

Economia

Comerciantes de Pouso Alegre usam vendas de Natal para alavancar retomada dos negócios

Publicado

no dia

Sete em cada dez comerciantes mineiros esperam ter um Natal 2021 com vendas superiores aos anos de 2019 e 2020. A pesquisa é da Fecomércio-MG. Essa confiança toda retrata bem o clima vivido pelo segmento em Pouso Alegre, não apenas pela expectativa de aumento nas vendas, mas principalmente por conta da esperança de superação da pandemia e retomada da atividade econômica.

A Associação do Comércio e Indústria (Acipa), por exemplo,  estima que as vendas deste Natal sejam mais de 12% superiores às do ano passado, mas as cifras estão longe de serem a grande preocupação do segmento. A palavra de ordem é retomada.

“O objetivo da Acipa foi o de trabalhar em duas frentes. Uma é social, que é alegrar as pessoas e trazer a esperança e a alegria. Do ponto de vista comercial, é fomentar os negócios, para os vendedores, para os associados Acipa venderem. E para os consumidores poderem adquiris produtos com qualidade, preços bons, com variedade”, enumera o presidente da associação, Ibrahim Kallás.

Para ajudar nela, a Acipa se empenhou na montagem da tradicional Casa do Papai Noel e criou uma promoção de vale-compras.

Em uma loja de moda feminina e acessórios que fica na Rua São João, na região central, as vendas pelas redes sociais ajudaram a segurar um pouco o recuou provocado pela pandemia, mas o impacto da crise de saúde ainda afeta seu desempenho.

“O ano passado, com a pandemia, teve essa queda, e este ano, embora a pandemia tenha quase cessado, com todo mundo vacinado, mesmo assim, ainda teve uma queda grande. [Apesar disso], a gente se manteve na pandemia, a gente não teve queda tão brusca [com] a nossa estratégia de manter as vendas online”, explica a lojista Lucileide Rodrigues.

Tem lojista, porém, que já comemora um aumento nas vendas, superando as melhores expectativas. É o caso de uma outra loja de roupas visitada pelo R24, desta vez na Comendador José Garcia. “Eu estou achando bem positivo, inclusive, este ano, eu estou vendo uma melhora grande em relação ao ano anterior. O pessoal está mais animado, mais otimista, com mais esperança, está sentindo mais vontade de comprar”, elenca a lojista Thais Carvalho.

Para duas vendedoras ouvidas pelo R24, a percepção é de que, depois de semanas com movimento moderado, nos últimos dias o apetite dos consumidores parece estar em alta. “Comparando com o ano passado, o ano passado estava um pouco melhor. Esse ano deu uma caída. A gente viu um aumento de venda nessa semana perto do Natal. A gente está ficando até mais tarde pra ver se o resultado melhora”, contam as vendedoras Amanda e Bruna.

E o trabalho continua. Nesta sexta-feira, véspera de Natal, o comércio ainda abre até às 18h.

 


Não perca nada. Siga o R24 nas redes sociais:
Facebook | Youtube | Instagram | Grupo de WhatsApp | Telegram

Continuar lendo

Economia

Aprovada doação de terreno no Distrito Industrial para expansão da Gasômetro

Publicado

no dia

Unidade da Gasômetro na Avenida Pinto Cobra, em Pouso Alegre | Imagem: reprodução

Empresa promete gerar mais 90 empregos até 2023, além de manter os 32 colaboradores que já atuam em sua unidade local. Terreno de 6,2 mil metros é avaliado em pouco mais de R$ 1 milhão. Investimento da Gasômetro será de R$ 10,5 milhões em centro de distribuição para operar via e-commerce

Os vereadores de Pouso Alegre aprovaram na tarde desta terça-feira, 21, em sessão extraordinária, projeto de lei que autoriza a Prefeitura a doar uma área de 6,2 mil metros quadrados, no Distrito Industrial, com valor estimado de pouco mais de R$ 1 milhão, para a expansão da Gasômetro Madeiras.

A empresa, especializada em materiais para marcenaria e ferramentas, já possui uma unidade às margens da Avenida Perimetral. Com o terreno doado pela Prefeitura no Distrito Industrial, pretende construir um centro de distribuição (CD) para operar via e-commerce.

A operação prevê a geração de mais 90 vagas de empregos na empresa (além de 32 colaboradores que já atuam na unidade da Perimetral) e faturamento de R$ 45 milhões até 2023. O investimento para instalação do CD será da ordem de R$ 10,5 milhões

Para receber a doação do município, a empresa se comprometeu a, além de cumprir as metas de geração de empregos, investimentos e faturamento, permanecer pelo prazo mínimo de 10 anos na cidade. Outra exigência é que o centro de distribuição já esteja instalado e em funcionamento até o final de 2021. O não cumprimento desses e outros compromissos assumidos geram a reversão do imóvel para o município.

Sobre a empresa

A empresa Gasômetro Madeiras pertence à família Ramuth. Ela foi fundada em 1982 na cidade de São José dos Campos (SP). Hoje, possui 260 funcionários e plantas fabris nas cidades de São José dos Campos (SP), Pouso Alegre (MG), Uberlândia (MG), São José do Rio Preto (SP), Guarulhos (SP) e Aricanduva (SP).


Não perca nada. Siga o R24 nas redes sociais:
Facebook | Youtube | Instagram | Grupo de WhatsApp | Telegram

Continuar lendo

Mais lidas