® 2021 Rede Moinho 24 • Notícias de Pouso Alegre e região •

Cotidiano

Moradores afirmam que agressão a adolescente autista agravou tumulto no São Geraldo

Publicado

no dia

Abordagem policial que gerou tumulto ocorreu na noite desta quarta-feira, 14, no São Geraldo | Imagem: reprodução

PM não teria informado incidente envolvendo adolescente autista no boletim de ocorrência. Família da menina vai acionar a corregedoria. Polícia alega que tumulto foi gerado apenas por reação dos moradores à apreensão de outra jovem suspeita de tráfico de drogas

Moradores afirmaram ao R24 que a agressão a uma adolescente autista seria uma das causas do incidente ocorrido na noite desta quarta-feira, 14, no São Geraldo. A menina de 17 anos voltava do supermercado com o pai, quando se separou dele no tumulto já iniciado durante a abordagem de uma outra adolescente, essa de 16 anos, suspeita de tráfico de drogas.

De acordo com a Polícia Militar, o incidente que terminou com dois homens presos e uma menor apreendida teve início durante a abordagem policial.

“Ao avistar a viatura policial, a jovem apresentou bastante nervosismo e tentou evadir pela Avenida Vereador Antônio da Costa Rios. Ao ser abordada e avisada que seria dado (sic) busca pessoal no local, com apoio de uma Policial Feminina, a suspeita dispensou da parte interna de sua bermuda uma porção contendo várias pedras de crack e em seguida passou a pisar no material, com o intuito de destruir as pedras”, diz informe da PM distribuído à imprensa. A grafia do texto foi preservada pela reportagem.

Segundo uma estudante de enfermagem, moradora do bairro, cujo nome será preservado pela reportagem, a ação policial teria causado o princípio da aglomeração, mas os demais desdobramentos se deram em razão da agressão a sua irmã, uma adolescente de 17 anos, com deficiência intelectual. Ela alega também que a aglomeração em torno da abordagem da adolescente suspeita de tráfico de drogas se deu por conta de a menina ter sido vista com os seios de fora enquanto era abordada por policiais homens.

“Ela começou a gritar e, como aqui no São Geraldo é normal, todo mundo saiu pra rua. Saímos pra ver o que estava acontecendo. Deparamos com a menor com os peito de fora e sendo abordada por policiais homens”, afirma.

O R24 teve acesso a um vídeo que registra a cena descrita pela moradora. De fato a adolescente aparece com os seios à mostra, cercada por três policiais homens, que tentam contê-la. Distante alguns metros da cena está uma policial mulher, que a PM alega ter dado apoio no momento da revista. O R24 optou por não exibir o vídeo.

Ainda de acordo com a PM, a ação dos policiais para conter a adolescente teria se dado após resistência. “A abordada esboçou reação, agrediu os policiais com chutes e passou incitar os presentes contras as ações da PMMG. Foi necessário o uso de força e algemação para conter as atitudes da jovem”, relata a PM.

Diante da cena presenciada pelos moradores, inicia-se um protesto contra a ação dos policiais. Dentre os diversos vídeos que circulam nas redes sociais, publicado pelos próprios moradores, em nenhum é possível identificar agressões contra os policiais.

Polícia diz que fez prisões por reação dos moradores, família alega ter se revoltado com agressão a adolescente autista

A PM alega que a atuação se deu dentro dos padrões, diante da suposta ameaça à integridade dos policiais. “Várias pessoas que estavam no local instalaram uma turba contra os militares. Diante disso, para se defenderem, os policiais utilizaram de munições de elastômero, tendo sido efetuado disparos contra a multidão”, afirma.

Nesse ponto, surgem mais contradições entre o que afirma a Polícia Militar e os moradores. Segundo a PM, um jovem de 19 anos, que “permaneceu insultando os policiais militares”,  foi alcançado e preso e um homem de 46 tentou tirá-lo dos policiais, acabando também preso.

“Para efetuar as prisões desses autores, foi necessário o uso de força por parte do militares para contenção e condução até a viatura policial. Durante a algemação de um dos presos, também houve reação dele contra os militares, o que ocasionou lesão na mão do policial militar”, relata o informe policial.

A moradora com quem o R24 conversou conta que o pai e a irmã, que tem deficiência intelectual, voltavam do mercado no momento da confusão. “E ela soltou da mão dele na multidão aí foi aonde os polícias, não sei acho que confundiram ela, e ele [um policial] foi pra cima dela, agrediu ela, jogou no chão e ainda pois a arma na cara dela foi quando meu pai começa a grita que não precisa daquilo que ela é especial e chama ele de covarde”, relata a moradora.

Também de acordo com ela, os policiais teriam partido pra cima do pai. ” Aí, meu primo também começa a gritar que não precisa daquilo, aí eles desmaiam ele”, garante. Ela também sustenta que a lesão no dedo de um dos policiais não teria sido causada por agressões vindas de seus familiares. “Ele destroncou quando agredia meu pai”, afirma.

Família irá à corregedoria

A moradora ouvida pelo R24 afirmou que a família irá à Corregedoria da Polícia Militar pedir a apuração do que ocorreu no bairro. “Minha irmã vai ser passada por psicólogos foi medicada tomou um calmante, pois ficou mto agitada”, diz.

Uma dos questionamentos da família é o fato de que no Boletim de Ocorrência não consta a agressão que teria sido sofrida pela adolescente autista.

 

Confira a íntegra do informe divulgado pela PM:

Pouso Alegre – populares do bairro São Geraldo tentam impedir a apreensão de adolescente que comercializava drogas ilícitas

No dia 14 de abril de 2021, por volta das 21 horas, no bairro São Geraldo, os policiais militares realizaram a apreensão de uma adolescente de 16 anos por ato infracional análogo ao crime de Tráfico de Drogas. Durante a sua apreensão, populares tentaram impedir a ação policial, resultando inclusive em policial militar ferido.

Durante o patrulhamento, os policiais militares visualizaram a adolescente, de 16 anos, a qual já foi apreendida em outras datas por comercializar drogas ilegais. Ao avistar a viatura policial, a jovem apresentou bastante nervosismo e tentou evadir pela Avenida Vereador Antônio da Costa Rios. Ao ser abordada e avisada que seria dado busca pessoal no local, com apoio de uma Policial Feminina, a suspeita dispensou da parte interna de sua bermuda uma porção contendo várias pedras de crack e em seguida passou a pisar no material, com o intuito de destruir as pedras. A abordada esboçou reação, agrediu os policiais com chutes e passou incitar os presentes contras as ações da PMMG. Foi necessário o uso de força e algemação para conter as atitudes da jovem.

Várias pessoas que estavam no local instalaram uma turba contra os militares. Diante disso, para se defenderem, os policiais utilizaram de munições de elastômero, tendo sido efetuado disparos contra a multidão. Durante a intervenção, o autor de 19 anos permaneceu insultando os policiais militares e ao ser alcançado e preso, o autor de 46 anos tentou arrebatar o preso, pelo que também foi preso pelas equipes policiais. Para efetuar as prisões desses autores, foi necessário o uso de força por parte do militares para contenção e condução até a viatura policial. Durante a algemação de um dos presos, também houve reação dele contra os militares, o que ocasionou lesão na mão do policial militar.

Posteriormente, ao ser dada busca pessoal na adolescente, também foi encontrado material ilícito (crack) dentro da sua bermuda.

Diante do exposto, foi efetuada a prisão dos autores e apreensão da jovem e das drogas ilícitas, os quais foram encaminhados à Delegacia de Polícia Civil.

Publicidade
Comentários

Cotidiano

Radialista e ex-candidato a prefeito por Pouso Alegre morre por complicações da Covid-19

Publicado

no dia

Faleceu nesta quarta, 12, em Pouso Alegre, aos 54 anos, o radialista e servidor público Eduardo Ferreira Pinto, o Eduardo da Rádio.

Ele estava internado no Hospital das Clínicas Samuel Libânio e não resistiu às complicações da Covid-19, doença que já vitimou mais de 300 pouso-alegrenses.

Eduardo ficou ainda mais conhecido na cidade no ano passado, quando chegou a formalizar sua candidatura a prefeito pelo Partido dos Trabalhadores, mas acabou renunciando após ter seu nome impugnado pelo Ministério Público.

Natural de Varginha, o radialista foi servidor público municipal de carreira na prefeitura de Pouso Alegre. No rádio, teve passagem por emissoras de Poços de Caldas, Varginha. Em Pouso Alegre, onde passou a maior parte de sua vida, trabalho em emissoras como a Clube e a Band FM.

Por se tratar de óbito relacionado à Covid-19, não haverá velório.

Continuar lendo

Cotidiano

Operação Dínamo prende 15 por tráfico e associação para o crime em Itajubá

Publicado

no dia

Uma grande operação policial prendeu 15 pessoas investigadas por tráfico, associação para o crime, ocupação irregular de imóveis e uso clandestino de serviços e fornecimento de água e luz em Itajubá, no Sul de Minas Gerais.

Denominada ‘Operação Dínamo’, a ação foi deflagrada na manhã desta quarta-feira (12/5) e contou com a participação das polícias Civil, Militar e Penal de Minas Gerais, Ministério Público e Guarda Municipal de Itajubá.

Ao todo, 250 policiais e guardas municipais cumpriram 31 mandados de busca e apreensão, além de um mandado de prisão contra um foragido. Outras 14 prisões e apreensões em flagrante também foram executadas.

Os trabalhos também contaram com o apoio de cães farejadores e uma aeronave, além de uma retroescavadeira que demoliu as construções precárias e irregulares no interior do condomínio Novo Horizonte.

De acordo com a Polícia Civil, a operação resultou de mais de três meses de investigações e levantamentos de informações.

Até o momento, foram apreendidos cerca de 30 quilos de drogas, entre maconha, skank, crack e cocaína, pássaros criados ilegalmente, cerca de R$ 50 mil em dinheiro e cheques, um simulacro de arma de fogo e 12 aparelhos celulares que serão usados para as investigações.

 

Continuar lendo

Cotidiano

Apreendido adolescente que participou de assalto a loja em que família foi feita refém

Publicado

no dia

Adolescente indicou a participação de outros dois homens no assalto a uma loja de Borda da Mata. Proprietário, sua esposa e filha pequena foram feitos reféns durante a ação e ameaçados de morte

Foi apreendido em Pouso Alegre um adolescente de 16 anos que confessou ter participado do assalto a uma loja de Borda da Mata na tarde de ontem, 11. Ele e um outro homem, este armado, invadiram o estabelecimento e fizeram o proprietário, sua esposa e filha pequena reféns, enquanto subtraíam itens do local.

A dupla amarrou o dono da loja e ameaçou matar a família durante o assalto. Eles ainda reclamaram do choro da criança, que estava no colo da mãe.

De acordo com a PM, os assaltantes levaram celulares, frascos de perfumes e bebida alcoólica do estabelecimento. Eles teriam deixado o local andando em direção à Avenida João Olivo Megale, onde teriam embarcado em Uno e fugido em direção desconhecida.

Assalto teve participação de três pessoas

Ao ser apreendido pela polícia, o adolescente indicou outros dois homens que teriam participado do assalto. A polícia afirma já ter a identidade da dupla. As investigações ficarão a cargo da Polícia Civil a partir de agora.

Assaltantes ameaçam matar a família

Imagens captadas pelas câmeras de segurança, registraram as ameaças. “Não tem dinheiro não? Não tem? É certeza?”, indaga o assaltante que está com a mochila na mão recolhendo eletrônicos da loja.

A mulher diz que não tem dinheiro ao que o assaltante que está armado ameaça: “Pra nóis centar o pau em vocês aqui é dois palitos. Nós mata oceis e some, nem polícia acha nóis”, diz o assaltante enquanto aponta a arma para o proprietário da loja.

O dono da loja, por sua vez, argumenta que os pertences da loja era tudo que ele tinha e pede que os assaltantes não machuquem sua família. Durante todo o assalto ele mantém um diálogo com os assaltantes, ressaltando que eles poderiam pegar o que quiser, contanto que não machucassem sua família.

Mesmo com a cooperação do proprietário da loja, a dupla manteve uma postura agressiva, com ameaças, em alguns momentos, chega a reclamar do choro da criança.

A certa altura, o homem que está armado recebe uma ligação e diz: “A gente está pegando aqui, pode ficar de boa”, indicando que eles recebiam suporte de um terceiro comparsa fora da loja, o que seria confirmado posteriormente pelo adolescente preso.

Continuar lendo

Mais lidas