® 2021 Rede Moinho 24 • Notícias de Pouso Alegre e região •

Cotidiano

Mães relatam emoção de superar covid-19 e retornar para a família

Publicado

no dia

Dona Abeti e Mailde receberam alta no mesmo dia (Fhemig / Divulgação)

“Não precisava me dar nada, só estar com vocês já é um presente pra mim”. Quantas vezes uma mãe não fala isso para seus filhos? E quantas delas vão estar ausentes ou sentirão a ausência de um filho nesses tempos sombrios de pandemia?

Em uma data especial como o Dia das Mães, a presença, mesmo que não seja física, é motivo de celebração e será lembrada como vitória por muitas famílias.

São milhares de mães que, atualmente, enfrentam as rotinas de plantão e longas jornadas de trabalho para atender aos casos de covid-19 nas unidades de Saúde, assim como em outros locais de trabalho. Mães que, muitas vezes, cuidam de outras mães e, com empatia ímpar, se colocam no lugar delas.

Na luta pela vida, essas mulheres se encontraram. E, neste contexto, as pacientes relatam a emoção de poderem retribuir esse carinho – não só às mães, mas a todos profissionais de Saúde que foram fundamentais para a recuperação de cada uma e, consequentemente, possibilitaram a elas passar mais um Dia das Mães com seus filhos.

Alta em família

Mailde Neves foi internada no Hospital Eduardo de Menezes (HEM) – referência em Minas Gerais no atendimento à covid-19 – no dia seguinte à internação de sua mãe, Dona Abeti, na mesma unidade.

Dona Abeti, de 82 anos, é mãe de dez filhos e ainda se recupera da doença. “Mesmo não podendo nos aglomerar, será um dia diferente para nós. Só posso agradecer a Deus e à equipe do hospital por ela estar viva, e esperamos que tenha muitos anos de vida pela frente”, diz Mailde.

As duas não tiveram complicações e permaneceram na Enfermaria por poucos dias. Tiveram alta na mesma data: 28 de abril. Por causa da idade, Dona Abeti ainda sente muito cansaço, mas Mailde segue melhor.

Acolhimento

Mesmo com dificuldades para falar e ainda se recuperando também, Maria do Perpétuo Lima faz questão de expressar sua gratidão e a alegria de reencontrar os filhos, de 27 e 35 anos, e a neta, de 7 anos.

“Temos apenas uma vaga ideia dessa doença até passar por ela. Tive medo todo o tempo, fui para o semi-intensivo e ficava nervosa ao pensar que poderiam me intubar a qualquer momento”, lembra.

Ela mantinha contato com a família pelo celular, mas reconhece que o acolhimento da equipe do Eduardo de Menezes ajudou demais no processo de recuperação. “Foram fantásticos, me deram carinho e atenção. Preciso agradecer a Deus e a eles pela minha vida, pela oportunidade que me deram de passar esse dia com minha família”.
Maria do Perpétuo também teve alta no final de abril, depois de nove dias internada.

Da angústia ao agradecimento

A vendedora Beatriz Maria Oliveira dos Santos, de 55 anos, acompanhava, nervosa, os casos de covid-19 que vinham aparecendo entre colegas, familiares e vizinhos. “Muita gente que eu conhecia faleceu com essa doença. Uma ex-colega perdeu quase toda a família”, conta.

Beatriz é mãe de três filhos: uma de 29 anos e gêmeos de 18. O marido, transplantando de coração, se recuperou recentemente da infecção pelo coronavírus. Com a aproximação do perigo, ela lembra que ficou apavorada quando apareceram os primeiros sintomas: “Entreguei minha vida nas mãos de Deus”.

O pulmão de Beatriz chegou a ficar totalmente tomado pela doença, mas o quadro não se agravou. “Pensava a todo momento em minha família, fazia videochamada com a ajuda da equipe, que me deu muito apoio e atenção”, relembra. Segundo ela, o atendimento no Hospital Eduardo de Menezes foi fundamental em sua recuperação.

“Peço a Deus pela vida de cada um deles, foi uma prova de amor incondicional a forma como fui tratada todos os dias. Fico emocionada quando me lembro do rosto de cada um, das palavras de esperança”.

Já em casa, ela diz que, agora, a angústia e o medo deram lugar à gratidão. “A vida é uma dádiva e estou muito feliz de poder passar o Dia das Mães com minha ninhada”, afirma.

Mães guerreiras

Em Patos de Minas, a gari Leandra Bruna da Silva Caixeta, de 37 anos, passará o Dia das Mães deste ano na companhia de toda a família, após 41 dias de internação, sendo 27 deles em ventilação mecânica, por causa da covid-19. A mãe do jovem Juan Pedro, de 17 anos, testou positivo para a doença no dia 3 de março, após apresentar falta de ar.

“Os sintomas foram só piorando com o passar dos dias. No dia 11 de março, fui para o hospital de campanha, já bem grave. Fui intubada na mesma hora”, relata.

Após 21 dias de internação, Leandra foi transferida para o Hospital Regional Antônio Dias (HRAD), da Fhemig, devido a uma complicação em seu quadro. Em seis dias, já teve a ventilação mecânica retirada e, pouco depois, seguiu para a Enfermaria, totalizando 20 dias de internação na unidade.

Leandra e o filho, Juan Pedro (Fhemig / Divulgação)

“Quando acordei no hospital, fiquei muito nervosa, só pensava no meu filho, na minha família, perguntava por eles o tempo todo. Foi muito difícil ficar todo esse tempo longe deles”, recorda.

No dia de sua alta, foi surpreendida, na porta do HRAD, por familiares e amigos, que foram recebê-la e celebrar sua vitória. “Foi emocionante demais. Só então pude ver meu filho, depois de tantos dias. Senti muita saudade, sou muito apegada a ele”, completa.

Por conta de sequelas da covid-19, Leandra ainda está acamada e faz sessões de fisioterapia três vezes por semana. Atualmente, recebe ajuda da mãe e do irmão na rotina diária.

“Perdi os movimentos das pernas e do braço esquerdo. Agradeço a Deus, primeiramente, por estar viva, aos meus familiares e amigos, pela corrente de oração que fizeram pela minha recuperação, e aos profissionais do HRAD, que cuidaram tão bem de mim. A todas as mães que se encontram internadas, gostaria de dizer: não desistam. Sejam guerreiras, como eu fui, lutem até o fim pela própria vida. E que a vitória venha rapidamente”, conclui.

Reportagem: Agência Minas

Cotidiano

Pouso Alegre e outras 21 cidades têm alerta de geada e mínima de 3º para a madrugada

Publicado

no dia

Imagem: reprodução

Prepare os cobertores, os agasalhos e se aqueça. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta de geada e temperatura mínima perto dos 3º entre as 4h e 8h desta terça-feira, 15, para Pouso Alegre e outras 21 cidades da região.

O Inmet alerta para o ‘perigo potencial de geada’ e chama atenção para o risco de perdas leves em plantações do Sul e Sudoeste de Minas. O alerta também é válido para o Vale do Paraíba e Litoral Norte de São Paulo.

No Sul e Sudoeste de Minas, as baixas temperaturas da madrugada desta terça-feira, 15, podem atingir 22 cidades:

  1. Cachoeira de Minas
  2. Careaçu
  3. Conceição das Pedras
  4. Conceição dos Ouros
  5. Consolação
  6. Cristina
  7. Delfim Moreira
  8. Gonçalves
  9. Itajubá
  10. Maria da Fé
  11. Natércia
  12. Paraisópolis
  13. Pedralva
  14. Piranguinho
  15. Piranguçu
  16. Pouso Alegre
  17. Santa Rita do Sapucaí
  18. Sapucaí-Mirim
  19. São José do Alegre
  20. São Sebastião da Bela Vista
  21. Wenceslau Braz
  22. Brazópolis

Não perca nada. Siga o R24 nas redes sociais: Facebook | Youtube | Instagram Grupo de WhatsApp

Continuar lendo

Cotidiano

Gerente da Planalto morre por complicações da Covid-19 em Pouso Alegre

Publicado

no dia

Ivan Monteito, gerente da Expresso Planalto, concessionária do serviço de transporte público em Pouso Alegre, faleceu neste domingo, 13, por complicações da Covid-19.

O gestor tinha 57 anos e já tinha passado pelo período de isolamento após desenvolver a versão leve da doença e apresentado alguns sintomas de menor gravidade.

Mas, na manhã de hoje, ele se sentiu mal e precisou ser socorrido pelo Samu. Ivan acabou não resistindo e faleceu ao dar entrada no hospital.

Natural de Paracatu (MG), Ivan morava em Pouso Alegre há apenas dois anos. Ele veio para a cidade em 2019 para gerir a operação da empresa de ônibus na cidade, quando a Planalto ganhou a licitação para prestar o serviço de transporte público.

Ainda não há uma posição pública da Expresso Planalto sobre a morte do gestor.

Mortes por Covid-19 mais que dobraram na última semana

As mortes por Covid-19 mais que dobraram na última semana em Pouso Alegre. Ao todo, o município confirmou 17 óbitos atribuídos à doença. Nos sete dias anteriores haviam sido oito.

Já a transmissão da doença desacelerou no período, com redução de 21,1%. Na semana atual, foram confirmadas 686 novas infecções, na anterior haviam sido 870.

> Confira a análise semanal da pandemia no município feita pelo R24.

 


Não perca nada. Siga o R24 nas redes sociais: Facebook | Youtube | Instagram Grupo de WhatsApp

Continuar lendo

Cotidiano

Pouso-alegrense vai concorrer ao título de Miss Brasil

Publicado

no dia

Depois de se tornar a Miss Pouso Alegre e Miss Minas Gerais, Maria Fernanda Rosa, de 19 anos, tenta se tornar a Miss Brasil em concurso que será realizado em Canoas, no Rio Grande do Sul

Pouso Alegre terá uma representante no concurso de Miss Brasil, a estudante de direito de 19 anos, Maria Fernanda Rosa.

Ela foi eleita Miss Pouso Alegre em novembro de 2020 e, em maio deste ano, se tornou a Miss Minas Gerais em uma seletiva em que concorreu com 100 meninas.

Agora, a pouso-alegrense está de partida para a cidade de Canoas, no Rio Grande do Sul, onde vai disputar o título de Miss Brasil entre os dias 18 e 21 de junho.

Maria Fernanda diz se sentir na função de inspirar jovens meninas a lutarem por seus sonhos e “buscarem não somente a beleza física mas sim a interna que dura para sempre e floresce através de atitudes”.

Segundo ela, a participação no Miss Brasil a deixa “muito honrada por representar nosso Estado e vai guardar com muito amor e carinho esse momento”.

Continuar lendo

Mais lidas