® 2021 Rede Moinho 24 • Notícias de Pouso Alegre e região •

Brasil

Novo auxílio emergencial poderá ser pago a partir de março: 4 parcelas de R$ 250

Publicado

no dia

Novo auxílio emergencial de R$ 250 pode começar a ser pago em março | Imagem: Agência Senado

O governo federal e o Congresso estão prestes a chegar a um consenso quanto à volta do auxílio emergencial. O benefício pode ser pago a partir de março, em quatro parcelas de R$ 250.

O valor deve ser pago a todas as famílias que têm direito ao Bolsa-Família e a cerca de 11 milhões de informais, o público que estaria precisando da renda emergencial, segundo projeções do governo.

A nova leva de benefícios para ajudar as pessoas a enfrentarem a crise desencadeada pela pandemia de coronavírus deve ter um custo total de R$ 30 bilhões e virá acompanhada de medidas de ajustes fiscais.

O valor de R$ 250 seria o meio termo entre o que propõe os técnicos do Ministério da Economia (R$ 200) e o defendido por lideranças do Congresso (R$ 300)

Na saída de um almoço com o ministro da Economia Paulo Guedes e o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), reafirmou a possibilidade das quatro parcelas:

“Nossa expectativa é de que possamos ter nos meses de março, abril, maio e, eventualmente, no quarto mês, de junho, o auxílio emergencial. Essa é a nossa expectativa, é nosso desejo”, projetou.

O mesmo foi repetido a jornalistas pelo presidente Jair Bolsonaro na quinta-feira (11): “Está quase certo, ainda não sabemos o valor. Com toda certeza – pode não ser – a partir de março, (por) três, quatro meses”.

De seu lado, Paulo Guedes acena para a aprovação de propostas de ajustes fiscais pelo congresso como contrapartida à liberação da nova rodada de auxílios: “Estamos todos na mesma luta: auxílio emergencial o mais rápido possível e as reformas, particularmente a do marco fiscal, que garante que vamos enfrentar essa guerra sem comprometer futuras gerações”, considerou.

PEC com cláusula de calamidade

Para aprovar o novo auxílio emergencial, o que a área econômica do governo Bolsonaro e o Congresso estão articulando é a aprovação de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) com uma cláusula de calamidade, que permitiria ao governo adotar medidas de cortes excepcionais, como a redução da jornada de trabalho de servidores e cortes de salários.

Brasil

Siga ao vivo: ex-ministro Nelson Teich depõe na CPI da pandemia

Publicado

no dia

A Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia ouve o ex-ministro da Saúde Nelson Teich. Ele é o segundo convocado a depor na CPI.

Continuar lendo

Brasil

Siga ao vivo: ex-ministro Mandetta é ouvido na CPI da Pandemia

Publicado

no dia

A Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia ouve o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta. Ele é o primeiro convocado a depor na CPI.

Continuar lendo

Brasil

Siga ao vivo: Senado instala CPI da Covid

Publicado

no dia

Reunião no Senado Federal marca a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia. Serão eleitos o presidente e o vice-presidente da CPI. O relator da comissão também deve ser escolhido.

Continuar lendo

Mais lidas